Franceses são quem mais está a investir na compra de imóveis em Portugal - Imobusiness

Skip links

Franceses são quem mais está a investir na compra de imóveis em Portugal

A APEMIP informa que os franceses representam 21% dos investidores em imobiliário, seguidos dos britânicos. Nesta fase, ainda não se sente os efeitos do ‘Brexit’.


A Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP) anunciou que, até ao primeiro semestre, os franceses lideraram no investimento imobiliário, sendo responsáveis por 21% das compras de imóveis realizadas no período em causa.

Citado no comunicado, o presidente da APEMIP, Luís Lima, realça que “os franceses continuam no top dos que mais investem em imobiliário português. Não há dúvida de que esta rota veio para ficar, e acentua-se a diversificação deste investimento, que não se centra apenas nas principais cidades”. Luís Lima sublinha na mesma nota que, com o aumento de preços nos grandes centros urbanos, há uma procura cada vez mais acentuada em zonas de menor densidade populacional”.

A avaliação feita pelo Gabinete de Estudos da APEMIP conclui que, os estrangeiros que mais investiram em imobiliário em Portugal, depois dos franceses, são oriundos do Reino Unido e do Brasil, ambos com 18%, da Alemanha (9%) e da China (7%).

Face à prevista saída do Reino Unido da União Europeia, o presidente da APEMIP admite que não se deverá sentir os efeitos do chamado ‘Brexit’ no setor. De acordo com Luís Lima, “à data, aquando do referendo do ‘Brexit’, sentiu-se uma retração deste investimento, com receio do que o futuro poderia reservar”. “No entanto, neste momento, tal não se verifica, uma vez que a representatividade britânica tem vindo a crescer no investimento imobiliário”, destaca a mesma fonte. Caso se verifiquem restrições à livre circulação resultante do ‘Brexit’, o presidente da associação sugere que o programa dos Vistos Gold pode “tornar-se uma via bastante interessante para este mercado”. A procura de imobiliário pelos britânicos continua a concentrar-se no Algarve, ainda que se comece a notar “alguma curiosidade” face a outras zonas.

Segundo a APEMIP, o investimento estrangeiro representou cerca de 16% do total das transações imobiliárias em Portugal, até junho de 2019. As tipologias mais procuradas têm sido os T3 (46%), seguindo-se os T2 (37%) e os T1 (16%).