Forte da Ínsua vai ser transformado em alojamento turístico - Imobusiness

Skip links

Forte da Ínsua vai ser transformado em alojamento turístico

A concessão, que se enquadra no programa Revive, foi atribuída à Diverlanhoso que irá dar nova vida ao Forte da Ínsua, transformando-o num estabelecimento de hospedagem.

O monumento, no concelho de Caminha em Viana do castelo, vai renascer como alojamento turístico, depois de ter sido alvo de concessão no âmbito do Programa Revive. “Através do programa Revive, foi encontrada uma nova vida para este monumento”, destaca uma nota do Ministério da Economia e da Transição Digital (METD).

De acordo com a mesma nota do METD, trata-se de “um monumento nacional único que se encontrava sem utilização e em avançado estado de degradação”. No âmbito do concurso lançado pelo Revive, “a concessão, por 50 anos, do Forte da Ínsua foi adjudicada por 1.001 euros de renda anual à empresa Diverlanhoso”, pode ainda ler-se na mesma nota. O Ministério tutelado por Pedro Siza Vieira assume ainda que se prevê “um significativo investimento neste património único, de modo a permitir a recuperação deste espaço como estabelecimento de hospedagem de qualidade elevada e a sua dinamização através do desenvolvimento de várias atividades de animação cultural”.

O edifício é caracterizado como sendo uma “fortificação marítima abaluartada, com planta estrelada irregular”, com uma área bruta de construção de 1.361 metros quadrados e é expectável que dê origem a um empreendimento com capacidade para cerca de 20 quatros.

No mesmo documento pode ler-se que “este é um dos 33 imóveis inscritos na primeira fase do Revive, um programa conjunto dos ministérios da Economia, Cultura e Finanças, com a colaboração das autarquias locais”. Com este programa pretende-se “valorizar e recuperar o património sem uso, reforçar a atratividade dos destinos regionais e o desenvolvimento de várias regiões do país”, explica ainda a tutela que coordena o Revive.

A segunda edição do Programa Revive foi lançada em 2019, com a integração de 16 novos imóveis. No total, o programa conta com 49 imóveis e já foram lançados concursos para a concessão de 21 edifícios. No terreno, já estão abertos os concursos para o Forte da Barra de Aveiro, em Ílhavo, e do Palacete dos Condes Dias Garcia, em S. João da Madeira.